PT

_como surgiu

 

o projecto matilha não tem data de nascimento, acaba por ser o resultado natural do trabalho que andava a ser desenvolvido já há algum tempo pelo mentor do projecto

 

_em que consiste

 

o projecto passa por trabalhar fotos de animais ou pessoas, seguindo-se depois um processo de reconstrução /vectorização da imagem, no qual são evidenciados os sentimentos que ela possa transmitir. É então pintada, preferencialmente, num local de grande visibilidade e que tenha forte impacto junto do cidadão comum 

 

_objectivos

 

num plano mais filosófico, o projecto matilha pretende tornar imortal o “melhor amigo do Homem”, despertando para sentimentos e características tão vulgares e comuns nos animais, em especial nos cães, como a lealdade, companheirismo, gratidão,... e tão raras na sociedade actual

 

 

_quem é (d)a matilha

 

o projecto matilha acaba por ser isso mesmo: uma matilha, um colectivo! composto por todos aqueles que, de alguma forma, nele participam... sejam os animais ou pessoas que são pintadas ou aquelas pessoas que têm dado um pouco do seu saber e sensibilidade ao projecto... esta questão do colectivo, e da importância que tem no projecto matilha, acaba por estar intrinsecamente enraizada na ligação do mentor deste com o graffiti. E o graffiti é, por excelência, a arte do colectivo

 

 

 

_onde

 

o projecto matilha já interveio em diversos espaços e superfícies, partindo sempre da parede para outros suportes, ou seja, qualquer figura/imagem tem sempre de ser pintada primeiro na parede e só depois pode “viajar” para outros lados tratando-se, essencialmente, de uma arte com um forte cariz efémero, as intervenções na rua só podem, garantidamente, ser encontradas no momento em que estão a ser feitas... talvez tenha sido por estas razões, que nasceu a linha de autor: malas, t-shirts,serigrafias e outros

objectos onde a história das personagens é contada, acompanhada, como no caso das t-shirts, de postais onde é dada a conhecer a história de vida de cada um e inclui pormenores como as coordenadas GPS com a localização da parede (na qual dada a efemeridade desta arte, poderá estar ou não a pintura) o curioso e o mais engraçado na utilização de outros suportes, para além da parede, é a dimensão geográfica que o projecto pode atingir... 

 

_a matilha e os outros

 

se no início não havia grande preocupação a nível de questões legais,  grande parte das intervenções do projecto foram em espaços sem autorização expressa/escrita, com a saída da nova lei e respectiva alteração das ”regras do jogo”, a questão da (i)legalidade e respectivas consequências passou a estar presente nas decisões e no “modus operandis” do projecto e a matilha começou a desenvolver algumas actividades com outros artistas e entidades, desde curadoria de exposições de cariz solidário onde as verbas angariadas revertem na totalidade para associações de protecção de animais, a intervenções a pedido de câmaras municipais, juntas de freguesia, escolas, associações culturais e de protecção de animais, onde chamar a atenção para questões relacionadas com os direitos dos animais (e direitos humanos) é objectivo primordial


EN



_how it was born

 

project matilha has no date of birth, it’s the natural result of the work developed by the project’s mentor for some time

 

_what it is

 

the project consists in working pictures of animals or individuals. This work is followed by the reconstruction / vectorization of the image, where the feelings it can convey are emphasized. It is then painted, preferably in a place of high visibility and strong impact on the average citizen.

 

_goals

 

in a more philosophical level, project matilha intends to make "Man's best friend" immortal, raising awareness to common traits animals possess , especially dogs, such as loyalty, companionship, gratitude ... so rare in today's society

 

_who belongs to matilha

 

project matilha is exactly that: a matilha (pack), a

collective! composed by all those who, somehow, participate in it ... animals or people that are painted or everyone who gave a bit of their knowledge and sensitivity to the project ... this topic of the collective, and the importance it has in the project ends up being intrinsically rooted in the connection of its mentor with graffiti. And the graffiti is, by excellence, the art of the collective

 


_where it is

 

project matilha has intervened in various spaces and surfaces , starting in a wall before using other formats. any picture / image must always be painted on the wall first and only then it can "travel" to other sides since it is, essentially, an artform with strong ephemeral nature, interventions in the street can only, assuredly, be found while being made ... perhaps for these reasons the author line comes to light: bags, t-shirts, serigraphy and other objects in which the story of the characters is told, accompanied, as in the case of t-shirts, by postcards where the life story of each is told. it also includes details such as GPS coordinates with the location of the wall (in which the painting can be, or not, since this art form is ephemeral) the most curious and funny about the use of other formats, beside the wall, is the geographical dimension that the project can achieve ...

 

_the pack and others

 

starting up, there was great concern in terms of legal issues, most of the project interventions were in areas without an expressed / written authorization, with the the new law and its amendment of the "rules of the game", the question of the (i)legality and consequences is now taken under consideration, affecting the decisions and "modus operandi" of the project and then matilha began to develop some activities with other artists and organizations, from curating exhibitions with supportive nature where funds raised revert entirely to animal protection associations, to interventions at the request of city councils, local councils, schools, cultural associations and animal protection entities, where drawing attention to issues related to animal rights (and human rights) is the primary goal